A secretária da Cidadania e da Diversidade do Ministério da Cultura, Márcia Rollemberg, participou hoje (22) de uma reunião com secretários de cultura e dirigentes de cultura das capitais e regiões metropolitanas. No encontro, ela apresentou aos secretários e dirigentes – que estão em Brasília para participar, de 23 a 25, do II Encontro dos Municípios com o Desenvolvimento Sustentável – Desafio dos novos governantes locais- , as novas bases do Programa Cultura Viva.

“O Programa nasceu reconhecendo as ações das comunidades e agora estamos no momento de expandí-lo, principalmente em relação aos municípios”, afirmou Márcia Rollemberg. Segundo ela, o Cultura Viva é o Programa de base comunitária do Sistema Nacional de Cultura e tem como desafio agora envolver não apenas os estados, mas também os municípios.

“Vamos trabalhar no sentido de sensibilizar os prefeitos para a bandeira da cidadania e da diversidade”, informou a secretária. Ela apresentou um histórico sobre todas as etapas do Cultura Viva e do processo de redesenho do Programa, feito pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA). “O nosso objetivo agora é trabalhar com parcerias para buscar a sua ampliação e, neste sentido, as prefeituras são fundamentais”, destacou a secretária, acrescentando que essas parcerias para a ampliação e qualificação do Programa se darão também dentro do Sistema MinC.

Márcia Rollemberg informou que, para fortalecer o Programa na base, uma das ideias é utilizar agentes de cultura – como os agentes de saúde – para trabalhar na capacitação de grupos e dos pontos de cultura. “Poderíamos até formar os agentes de saúde, sensibilizá-los para a questão da cultura”, ponderou Silvestre Ferreira, ex-secretário de Cultura e presidente da Fundação Cultural de Joinville (SC). Para a vice-presidente da Fundação Cultural de Aracaju, Aglaé D’Avila Fontes, com esta ação o Ministério da Cultura acabaria com a intermediação e acompanharia mais de perto os processos dos Pontos de Cultura.

A secretária da Cidadania e da Diversidade Cultural do MinC informou que, para ajudar no processo de prestação de contas e qualificação dos pontos de cultura, as novas bases do Programa prevê ainda que os pontões funcionem com articuladores dos pontos de cultura. “Esses pontões teriam convênios diretos com o Ministério da Cultura e trabalhariam com os eixos comunicação, cultura e educação”, disse.

Márcia Rollemberg aproveitou para divulgar a agenda da SCDC, com destaque para o encontro com os procuradores que acontecerá dias 6 e 7 de maio em Brasília e que tem com o objetivo ajudar nos processos de prestação de contas dos pontos de cultura. Ela pediu aos secretários e dirigentes de cultura das capitais e regiões metropolitanas para que reflitam sobre o Programa e sobre como os municípios podem ser inseridos na implementação e gestão do Cultura Viva nos estados.

O presidente da Fundação Cultural de Joiville, Silvestre Ferreira, considerou o momento oportuno para a discussão das novas bases do Programa. “O Fórum é a ponte para criarmos políticas e discutir gestão política”, afirmou. Na sua opinião, o Cultura Viva “tira o viés de que, no Brasil, apenas a cultura de entretenimento é valorizada”.

Fonte: Comunicação/SCDC

Categorias: Notícias
Tags: ,

Postado por em | 0 comentários