09.03.15

O Circuito Cultura Viva, projeto de participação social da Secretaria da Cidadania e da Diversidade Cultural (SCDC) do Ministério da Cultura, realizou no último final de semana uma ampla mobilização no estado do Amapá.A agenda incluiu reuniões de articulação institucional com prefeitos e secretários do Estado, roda de conversa com produtores, artistas e fazedores de cultura, debate sobre democratização da mídia e percursos culturais pela região.Na sexta-feira (6), a secretária da Cidadania e da Diversidade Cultural do MinC, Ivana Bentes, iniciou a agenda participando de um encontro com prefeitos, secretários municipais e o Senador Randolfe Rodrigues. As mudanças propostas pela Política Nacional de Cultura Viva foram apresentadas pela secretária, que debateu com os gestores a possibilidade de criação de novos convênios municipais e a renovação do convênio estadual.

Agenda incluiu reuniões de articulação institucional com prefeitos e secretários do Estado, roda de conversa, debate sobre democratização da mídia e percursos culturais pela região. (Foto: Oliver Kornblithh / Cobertura Colaborativa)

Agenda incluiu reuniões de articulação institucional com prefeitos e secretários do Estado, roda de conversa, debate sobre democratização da mídia e percursos culturais pela região.

A perspectiva é que o encontro se desdobre em outras articulações e agendas bilaterais entre os presentes. Participaram da atividade prefeitos dos municípios de Tartarugalzinho, Porto Grande, Vitória do Jari, Itaubal, Serra do Navio, Cutias, Amapá e Macapá, bem como representante de Calçoene. A reunião contou ainda com a presença do deputado estadual Paulo Lemos (PSOL-AP) e o pró-reitor da Universidade Federal do Amapá (Unifap), Raphael Pontes.

Seguindo a agenda na cidade, Ivana Bentes participou de uma roda de conversa com Pontos de Cultura, redes, coletivos, movimentos, gestores, fazedores de cultura e artistas sobre o atual planejamento da SCDC. O debate, realizado no CEU das Artes, girou em torno das políticas públicas para a cultura, linguagens, mídia livre, cultura de redes e também sobre a Política Nacional de Cultura Viva.

“Fizemos um encontro com as redes e agentes de cultura de Macapá, e o debate chegou na importância de uma cultura de redes e mapeamento e articulação dos grupos (com todas as diferentes linguagens e propostas) e os pontos e pontões de toda a região”, conta Ivana.

Ainda na sexta-feira, Ivana foi ao debate sobre Democratização da Comunicação da semana do calouro da Universidade Federal do Amapá (Unifap). Pablo Capilé, da rede Fora do Eixo e Aldenor Benjamim, Coordenador do Curso Comunicação Social, também compuseram a mesa que colocou em questão as estratégias, políticas e soluções criativas para a proliferação de iniciativas de mídia livre e a descentralização de recursos e investimentos no setor.

Fechando a noite de atividades, Ivana visitou a 7ª edição do Festival Quebramar, um dos maiores festivais de artes integradas da Amazônia.

Pontos de Cultura
No sábado (7), o Circuito Cultura Viva visitou a Associação Educacional e Cultural Essência (AECE), entidade civil que busca a inclusão social de crianças e adolescentes em orquestras e bandas civis. As atividades são voltadas para comunidades e facilitam o acesso ao aprendizado gratuito de música. A secretária Ivana Bentes assistiu ao ensaio da Orquestra Essência e conversou com o grupo, abrindo as portas da SCDC para apoiar e valorizar iniciativas como essa.

A atividade ocorreu no Centro de Mobilização Social Arco Íris, um espaço que oferece oficinas, cursos, palestras e ainda incentivo a projetos de empreendedorismo e todas as políticas voltadas para área da inclusão aos moradores dos bairros Santa Inês, Araxá, Pedrinhas e Mucajá.

No período da tarde, oito Pontos de Cultura debateram os mecanismos de sustentabilidade com a secretária, apresentando a realidade local e o histórico do Programa Cultura Viva na região.

A Secretaria de Cultura do Estado do Amapá também participou do debate e se colocou à disposição para efetivar políticas estaduais que valorizem a cultura local.

Como parte do percurso para uma escuta sensível das necessidades da sociedade civil, a equipe da SCDC visitou também o Curiaú, área quilombola de preservação ambiental próximo à capital amapaense, e conheceu dona Creuza Miranda Silva, da Associcação de Mulheres Mãe Menina do Quilombo do Curiaú.

A área não tem qualquer tipo de reconhecimento do Estado e corre risco de ser desapropriada, mesmo sendo um espaço de resistência da cultura Afrodescendente.

Outros pontos de parada do Circuito Cultura Viva foram a Casa de Cultura Sankofa, que foi apresentada pelo produtor cultural Nego Jamaica, e o Espaço Caos, que aglutina uma série de coletivos culturais, como cartunistas, fotógrafos, entre outros.

Em todos os pontos visitados, a SCDC ouviu expectativas da sociedade civil para com as ações que o Ministério da Cultura deve realizar neste início de gestão.

As visitas, somadas a ampla agenda realizada dentro da própria Secretaria, são algumas das ferramentas utilizadas pela gestão, para ampliar o alcance de suas políticas e projetos.

Fonte: Assessoria de Comunicação/Ministério da Cultura

Categorias: Notícias
Tags:

Postado por em | 0 comentários