O Rio Grande do Sul irá ganhar, no próximo mês de maio, a primeira incubadora do país voltada ao público atendido pela Política Nacional de Cultura Viva (PNCV), como Pontos e Pontões de Cultura, coletivos culturais, juventude rural e mestres e mestras da cultura popular, entre outros.

A Incubadora Cultura Viva é um projeto conjunto entre o Ministério da Cultura (MinC), por meio da Secretaria da Cidadania e da Diversidade Cultural (SCDC), e a Universidade Federal do Rio Grande (Furg), localizada na cidade portuária de Rio Grande, no sul do estado.

“A Furg é gestora, desde 2010, de uma rede de Pontos de Cultura em 13 municípios do sul e centro-sul do estado. Há uma carência dos Pontos em relação a informações sobre prestação de contas, elaboração de projetos para arrecadação de recursos e até mesmo sobre como explorar a relação próxima com os países do Mercosul”, afirma o diretor de Arte e Cultura da Furg e coordenador da ação, Roberto Domingues Souza. “A incubadora visa capacitar nosso público, por meio de ações como cursos, circuitos, pesquisas, bolsas, prêmios e divulgação, sendo uma ferramenta para o desenvolvimento sociocultural do extremo sul do país”.

Para o diretor da Cidadania e da Diversidade Cultural do Ministério da Cultura, Alexandre Santini, a incubadora pode se tornar uma referência para as ações que envolvem as universidades na PNCV. “É uma iniciativa importantíssima, que será acompanhada de perto pela SCDC”, destaca. “É uma síntese de várias ações de fomento e articulação desenvolvidas no âmbito do Cultura Viva, envolvendo encontros, premiações e estímulo ao intercâmbio e à articulação em rede”.

Inicialmente, a Incubadora Cultura Viva trabalhará com quatro eixos de ação: formação, articulação, promoção e circulação. Na área de formação, será realizado edital para seleção de oito projetos, grupos, artistas ou coletivos culturais sem organização jurídica a serem incubados e capacitados nos princípios da PNCV e da economia criativa.

Também serão abertas 20 vagas para o curso de aperfeiçoamento Cultura Viva: Política e Ação Comunitária. Oferecido pela Furg, o curso prevê formação técnico-cultural com base na PNCV. Estão previstas, ainda, oficinas em áreas como artes visuais, música, audiovisual e artes cênicas bem como a realização de cursos de formação de jovens agentes da Cultura Viva e de elaboração, acompanhamento, supervisão e prestações de contas de projetos culturais, entre outros.

Na área de articulação, entre as atividades que serão realizadas pela incubadora, estão o estímulo à realização de eventos que potencializem a economia da cultura, tais como rodadas de negócios, conferências e jornadas, e promoção de projetos voltados às economias criativa e solidária.

Em promoção, serão realizados projetos para dar visibilidade a ações comunitárias de mestres tradicionais, indígenas e quilombolas, entre outros. Também serão reconhecidas iniciativas de base comunitária protagonizada por jovens. Já em circulação, a incubadora pretende estimular a criação de circuitos artísticos e potencializar o compartilhamento de espaços públicos para produção, circulação e fruição das produções culturais locais e regionais.

Prêmios e bolsas

A incubadora também lançará edital para dois prêmios e dois programas de bolsas. A Bolsa Agente Cultura Viva selecionará 20 jovens que atuarão nos Pontos de Cultura como protagonistas de ações culturais de base comunitária. Também será criada a Bolsa de Reconhecimento dos Mestres Tradicionais, que reconhecerá os saberes tradicionais por meio da valorização de dois mestres e da promoção e compartilhamento de seus saberes no ambiente universitário.

Serão lançados, ainda, os prêmios Residência Artística, que promoverá o trabalho de dois artistas nas comunidades localizadas no território de atuação da Incubadora Cultura Viva, por meio de ações de arte e educação; e Audiovisual, que apoiará a realização de dois documentários feitos pelos Pontos de Cultura. O tema norteador será a “zona rural”, com seus amplos aspectos geográficos, culinários, históricos, artísticos e sociais.

Informações sobre a incubadora podem ser obtidas por meio do site www.cultura.furg.br ou do e-mail cultura@furg.br

Fonte: Assessoria de Comunicação/Ministério da Cultura

Categorias: Notícias
Tags:

Postado por em | 0 comentários