Construção de um conhecimento colaborativo, estímulo à economia solidária e maior força conjunta diante de questões políticas. Essas são algumas das vantagens de Pontos de Cultura atuarem em rede. Para estimular essa articulação, o Ministério da Cultura (MinC) realiza parcerias com estados e municípios, no âmbito da Política Nacional de Cultura Viva (PNCV), que entrou em vigor em abril deste ano.
O MinC mantém, atualmente, segundo dados da Secretaria da Cidadania e da Diversidade Cultural (SCDC), parcerias com governos de 26 unidades da Federação (exceto Paraná) e convênios diretos com mais de 50 cidades para implementar redes estaduais e municipais de Pontos de Cultura.
Para o estabelecimento de parcerias, é necessário que o estado ou município se manifeste por meio de um ofício para o MinC, especificando características da Rede de Pontos da região, a contrapartida oferecida e a expectativa com relação à rede. Em média, para cada R$ 1 investido pelo parceiro, o Ministério aporta R$ 2, por meio de editais lançados pelos estados ou municípios.
A coordenadora de Cooperação e Articulação da SCDC, Deborah Lobo, destaca que o princípio da PNCV é fortalecer e ampliar as redes atuais de Pontos de Cultura, além de possibilitar a criação de novas, promovendo um debate político e estético cada vez mais transversal e pluralizado. “Ao colocar em conexão as redes que já se articulam e também as novas, sob a perspectiva da construção coletiva e não individualizada, fortalecemos iniciativas cidadãs, a economia solidária, a comunicação colaborativa e a gestão participativa da Política Nacional de Cultura Viva”, destaca.
A importância da articulação em rede também é destacada por gestores de redes de Pontos de Cultura. “Não dá para caminhar sozinho. Precisamos atuar em sintonia e colocar a cultura como direito e não só como lazer”, considera o coordenador da rede de Pontos de Cultura de Aparecida de Goiânia (GO). “É preciso ver a cultura como potencial econômico que transforma a economia e sociedade. Temos uma diversidade cultural forte no município, mas era muito fragmentada. Agora torcemos para fortalecer isso”.
Para o gestor da rede de Pontos de Cultura de Campinas (SP), Daniel Rappaci, a regulamentação da Lei Cultura Viva proporciona um novo patamar para se trabalhar a articulação em rede.  Ele informou que a cidade está em fase final de conveniamento com o MinC. “Devemos firmar o convênio ainda em junho deste ano. Com isso, lançaremos um novo edital de Pontos de Cultura e recomeçaremos a rede de Campinas”, afirma.
Texto: Cecília Coelho
Fonte: Assessoria de Comunicação/Ministério da Cultura

Categorias: Notícias
Tags:

Postado por em | 2 comentários