21.09.2016 – 16:32

O 49º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, que abriu as portas ao público nesta quarta-feira (21), exibirá filmes que foram realizados com apoio do Ministério da Cultura (MinC), por meio da Agência Nacional de Cinema (Ancine). Dos nove longas selecionados para a mostra competitiva, três receberam recursos do Fundo Setorial do Audiovisual, por meio do Programa Brasil de Todas as Telas: Antes o tempo não acabava, de Sérgio Andrade e Fábio Baldo (AM), Deserto, de Guilherme Weber (RJ), e O último trago, de Luiz Pretti, Pedro Diógenes e Ricardo Pretti (CE).

O drama Antes o tempo não acabava narra a história de Anderson, um jovem indígena com raízes na etnia saterê. O personagem entra em conflito com os líderes de sua comunidade, localizada na periferia de Manaus. As tradições mantidas por seu povo parecem anacrônicas em relação à vida contemporânea que ele leva. Em busca de autoafirmação, Anderson abandona a comunidade para viver sozinho no centro da cidade, onde experimenta novos sentimentos e enfrenta outros desafios. A obra é o segundo longa dirigido por Sérgio Andrade e teve estreia internacional na Berlinale 2016. O filme foi selecionado na linha Prodecine 04/2013.

A trama Deserto, primeiro longa dirigido pelo ator, diretor e roteirista Guilherme Weber, traz ao público uma versão da obra Santa Maria do Circo, do mexicano David Toscana. Nela, um grupo de artistas itinerantes que viaja pelo sertão encontra um vilarejo abandonado, onde decide se instalar e fundar uma nova comunidade, dando a si mesmos papéis diferentes daqueles que exerceram por toda a vida. O longa foi contemplado nas linhas Prodecine 01/2012 e Prodecine 04/2013.

Por fim, O último trago conta a história de personagens que, em lugares e tempos distintos, se encontram entre a vida e a morte. São as vidas desconhecidas de Augusto, Álvaro, Joachim, Vicente, Marlene, Cláudio e Valéria, que estão indiretamente interligadas. O longa é o quinto dirigido e escrito de forma coletiva por Luiz Pretti, Ricardo Pretti e Pedro Diogenes. Antes, o trio dirigiu Com os punhos cerrados e, em parceria com Guto Parente, os filmes Estrada para Ythaca, Os monstros e No lugar errado. O filme foi contemplado na linha Prodecine 05/2013.

Além da produção dos três longas, o MinC apoiou, por meio da Lei Rouanet, a realização do próprio Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, que segue até 27 de setembro na capital federal. Na programação do festival, há debates, encontros, workshops, exibição de sessões especiais e festival dedicado às crianças, entre outros.

Antes o tempo não acabava (no alto), Deserto (centro) e O último trago (acima) receberam recursos do Fundo Setorial do Audiovisual (Fotos: Divulgação)

Programa Brasil de Todas as Telas

Lançado em julho de 2014 pela Ancine e pelo MinC, o Programa Brasil de Todas as Telas foi moldado para atuar na expansão do mercado e na universalização do acesso às obras audiovisuais brasileiras. Até junho deste ano, foram apoiados 437 longas-metragens e 453 séries ou telefilmes. A aposta no investimento em desenvolvimento de projetos também foi bem-sucedida, rendendo a estruturação de 69 núcleos criativos em todas as regiões do País e garantindo o desenvolvimento de 700 novos projetos de obras audiovisuais.

Leia mais:
Festival de Brasília abre as portas ao público nesta quarta-feira
Texto e Fonte: Assessoria de Comunicação/Ministério da Cultura

Categorias: Notícias
Tags: , ,

Postado por em | 0 comentários